quinta-feira, 4 de agosto de 2016

3a Etapa do Catarinense - URUBICI SUB ZERO


Equipe: Koru
Atletas: Aline, Hans Peda, Leo e Barbosa
Data: 26/07/2015
Local: Urubici (SubZero)
Organização: Expave/Bituin
Distância: 120km
Modalidades: Trekking, Bike, Remo, Canoying



Como não conseguiríamos montar uma equipe para correr essa etapa do Catarinense aceitei o convite para correr com a Koru. Saímos de Floripa as 15h e chegamos em Urubici por volta das 19h. Chegando lá fizemos o checkin básico e juntamos um pessoal para preparar o corpinho pelo que nos esperaria no próximo dia. Bora comer pizza.
A largada estava marcada para as 2h da manhã na Pousada Cascata do Avencal, mas acabou acontecendo as 3h.

Como a largada seria as 2h não reservamos pousada, nem levamos as tralhas de acampamento (furada total). Estávamos com tudo pronto as 23h ... o que fazer até a largada? Tentamos descansar um pouco no carro, mas o frio era tanto (eu não tinha nem um cobertorzinho, nem parece que vive na roubada) que não consegui pregar o olho.

Fiquei no carro prontinha para a largada: calça, blusa de bike + blusa térmica + anorak + cachecol e uma meia extra. 


Tenho dificuldade para dormir se não estou quentinha, mas, mesmo assim, lá pelas tantas acabei cochilando ... bem nessa hora (pelo menos foi o que pareceu) ligaram um som bagaceira bemmmm alto e um dos organizadores começou a falar no microfone (eram umas 2h15 da manhã). Ele gritava: vamos acordar cambada ... e por fim falou: o mapa da prova está no lago, vocês tem que ir lá pegar (e se divertia).

Graças a Deus que não precisou realmente entrar no lago. O mapa foi pescado pelo Leo, que só precisou molhar os pés ... naquele frio (quase 0oC) só de pensar já me dói. 

Analisamos o mapa, pegamos o race book, plastificamos tudo e começamos a bolar nossa estratégia para a prova.

Estávamos numa das partes altas da cidade, na cachoeira do Avencal, ali perto da casinha da foto:

Largaram 9 quartetos (categoria expedição) e 20 duplas, bastante gente para uma corrida de aventura no Sul.

O primeiro trecho era um pedal de 75km. Iniciamos a descida até o centro da cidade, parando no caminho para buscar um PC na parte baixa da Cachoeira do Avencal. Não precisava toda a equipe ir, o Peda se encarregou dessa parte (sim, ele teve que molhar os pés na cachoeira). Estava muitoooo frio. Mesmo fazendo força pra caramba no pedal os dedinhos da mão e dos pés não descongelavam.


Já na cidade, subimos a serra como se fossemos voltar para casa, mas antes do topo desviamos o caminho para a esquerda. A partir dali abriu-se um mundo novo para mim. Já havia me aventurado por Urubici diversas vezes, mas nunca naquela região. Só fui me localizar novamente no primeiro AT, sitio das 7 cachoeiras.


O percurso de bike era de muitos sobe e desce (quem conhece Urubici pode imaginar), passando ao lado de um pasto branquinho da geada. Além disso, fomos presenteados com um nascer do sol simplesmente incrível. Nunca vou esquecer essas imagens.

Lá pelo km 30 um dos meninos da equipe começou a ficar para trás. Estávamos impondo um ritmo forte e acabou sendo demais para ele. Ele chegou a cogitar desistir da prova. Nessa hora eu gelei ... conversamos, acalmamos o colega, diminuímos o ritmo e continuamos a prova. Ainda tínhamos praticamente 50kms só de bike pela frente.


O dia começou a clarear e foi um espetáculo. Aquela paisagem de interior, com muitas montanhas, araucárias e o solzão mega laranja surgindo. Simplesmente D+




Mesmo diminuindo o ritmo, chegamos no AT1 (área de transição de modalidade) em 5o lugar.

Dali saímos num trekkingzinho de 7km. Estávamos vendo a 4a equipe, mas não estávamos bem o suficiente para passá-los, além disso, um dos meninos da nossa equipe correu de sapatilha de bike (a informação inicial era de que o trekking seria de 2km).

Depois do trekking remamos 7km. O remo era meu maior medo (dado o frio que fazia), mas sabe que nem foi tão ruim.

Só depois do remo é que comecei a tirar algumas das camadas de blusas que estava usando ... olha que já eram quase 10h.
Chegamos ao AT e entregamos os ducks as 10h18. Tinha um corte de tempo ali, as 10h e nem nos tocamos. Ficamos super chateados porque fomos cortados e não poderíamos fazer o ultimo trekking (de 22km), depois do canoying nas 7 cachoeiras.

Já conhecia o canoying, simplesmente LINDO! Se chama 7 Cachoeiras, mas passa por mais de 10 quedas.


Terminado o canoying pegamos as bikes e seguimos para o final da prova, mesmo local da largada. Mas como descemos tudo no inicio, para chegar lá tivemos que subir bastante ... 

Nosso amigo quebradinho sofreu nesse ultimo trecho. Tentamos empurrar, amarrar as bikes ... mas ele subiu mesmo foi empurrando a bike (um dos meninos subia com sua bike e voltava para pegar a dele).

Foi dureza.

Terminamos a prova umas 14h15 ... fechando umas 11h de prova.

Certamente a prova foi dura para todos, a prova disso é que mantivemos o 5o lugar, sendo que só as 4 primeiras equipes puderam fazer o trekking final.

As equipes que chegaram em primeiro e segundo eram muito fortes: Nossa Vida, que esta treinando para o mundial de corrida de aventura, que será no Pantanal, Chivunk que está em primeiro no ranking brasileiro de corridas de aventuras e Go Crazi Aska,  mas se estivéssemos bem certamente poderíamos disputar o 4o lugar.

Corrida de aventura é assim ... 

E aí se animou?

A próxima etapa do Catarinense será aqui em Floripa. Quer correr?
Mais infos em: http://www.expedicaoeaventura.com.br/

Um comentário:

Aline Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.